Transposição: Águas de Satã

www.youtube.com Compartilhe

Imagens de obras na cidade de Cabrobó, em Pernambuco, podem ser vistas no documentário Transposição: Águas de Satã (2006), produzido pelo coletivo Telephone Colorido. O média-metragem denuncia a ocupação de terras tradicionais do povo indígena Truká para a construção de canais que receberão as águas do rio.
“Os ritos legais que deveriam ter sido seguidos para a instalação de semelhante obra em terra indígena foram negligenciados”, aponta o historiador Otto Mendes, integrante do coletivo. O filme foi realizado pela Telephone em parceria com os Truká e os Tumbalalá e com a Comissão Pastoral da Terra, o Conselho Indigenista Missionário e o Centro Josué de Castro.
Além dos índios envolvidos no documentário, a transposição altera a vida de mais seis povos do Nordeste: Kambiwá, Pipipã, Pankararu, Tuxí, Tuxá, Xocó, Calancó, Jeripancó, Caruazu e Catoquim. “Todos que andam pelo Sertão já viram pessoas morando a poucos metros do Velho Chico, mas sem acesso à água por causa do valor que precisam pagar. As águas da transposição serão ainda mais caras, o que vai limitar o uso desta água a grandes proprietários”, alerta o cineasta e pesquisador.

+ SIGA O BEIRAS NO INSTAGRAM e acompanhe as indicações de filmes e coleções enviadas semanalmente.


Ficha
  • Autoria: Povo Truká; Povo Tumbalalá; Telephone Colorido; Centro Josué de Castro; Conselho Indigenista Missionário - CIMI; Comissão Pastoral da Terra - CPT; Angelo Bueno; Eliana Monteiro; Rede Reflete Ação
  • Entidade: Telephone Colorido; Centro Josué de Castro; Conselho Indigenista Missionário - CIMI; Comissão Pastoral da Terra - CPT
  • Tipo de Entidade: Movimento Social, Produtora audiovisual
  • Ano: 2006
  • Duração: 32 minutos

Localização

Povos e Comunidades Tradicionais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *