Águas Secas (2013)

Na caatinga nordestina, belas águas ainda descem as serras verso o grande mar da barragem de Sobradinho. Escrevi este poema ao descansar em suas águas tingidas de vida e intenso rugir de seu leito. Quem dirá que logo, se não tivermos cuidado estas se tornarão Águas Secas, apenas lembranças de um belo sonho que tivemos no nosso planeta.

+ SIGA O BEIRAS NO INSTAGRAM e acompanhe as indicações de filmes e coleções enviadas semanalmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *