Das Águas Gerais – A Resistência de um Povo

www.youtube.com Compartilhe

As comunidades Geraizeiras e Ribeirinhas ao longo dos tempos aprenderam a conviver com as Gerais, e perceberam que estes rio eram importantes lugares de abrigo. A partir daí surgiram os lugarejos, distritos e municípios que compõem o Oeste da Bahia. Desta ocupação surgiu uma relação intrínseca com as águas, que para o povo é de fundamental importância para reprodução da vida e fonte de sobrevivência. Contudo, por ser uma região estratégica para o capital, há uma grande corrida para a expansão de infraestruturas, a fim de beneficiar o Agronegócio. Dentre estas destacam-se os projetos de Barragens, que atualmente chegam a cerca de 150 para os rios do Oeste. “Das Águas Gerais: a resistência de um povo” quer mostrar as contradições deste modelo de desenvolvimento e a resistência do povo Geraizeiros e Ribeirinhos em aceitar estes projetos de Barragens. O documentário busca também apresentar para o conjunto de sociedade a autonomia e soberania de um povo que luta para continuar a viver com qualidade de vida, que em síntese se expressa com “fartura” e “casa cheia” da região Oeste da Bahia — dentre as quais o Movimento dos Atingidos por Barragens — MAB, Cine Etinerrante, Comissão Pastoral da Terra — CPT, Rede de Educomunicadores da Bacia do Rio São Francisco e as próprias Comunidades Ribeirinhas – este documentário pretende estimular uma reflexão crítica sobre a realidade do oeste, bem como sensibilizar a população para a luta incansável deste povo em defesa dos seus direitos.

+ SIGA O BEIRAS NO INSTAGRAM e acompanhe as indicações de filmes e coleções enviadas semanalmente.


Ficha
  • Autoria: Renata Lourenço; Robson Vieira dos Anjos; Gil Macedo; Leandro M. Santos
  • Entidade: Movimento dos Atingidos por Barragens - MAB; Cine Etinerrante; Comissão Pastoral da Terra - CPT; Rede de Educomunicadores da Bacia do Rio São Francisco
  • Tipo de Entidade: Movimento Social
  • Ano: 2011
  • Duração: 26 minutos

Localização

Povos e Comunidades Tradicionais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *